Sobre o bull terrier


Saiba mais sobre a raça

Resumo Histórico

James Hinks quem primeiro padronizou o tipo da raça nos idos de 1850, selecionando a cabeça em forma de ovo. A raça foi mostrada pela primeira vez, em sua forma atual, em Birmingham em 1862. O Bull Terrier Club foi formado em 1887. Uma coisa verdadeiramente interessante sobre a raça é que o padrão diz deliberadamente: “não há limites de peso nem de altura, mas o cão deve dar a impressão de máxima substância para seu tamanho, condizente com suas qualidades e o sexo. O cão deve ser, a todo o momento, equilibrado”.

Os menores exemplares do bull terrier eram conhecidos desde o princípio do século 19, mas perderam a popularidade antes da Primeira Guerra Mundial e foram removidos dos registros do Kennel Club da raça em 1918. Em 1938, uma recuperação da raça foi encabeçada pelo Coronel Richard Glyn e um grupo de amigos entusiastas que fundaram o “Miniature Bull Terrier Club”. O padrão é o mesmo do bull terrier, com exceção do limite de altura.

James Hinks

Aparência em geral do Bull Terrier

De construção forte, musculoso, bem balanceado e ativo com uma expressão viva, determinada e inteligente. Uma característica singular do Bull Terrier é sua cana nasal descendente e a cabeça em forma de ovo. Independente do tamanho, os machos devem parecer masculinos e as fêmeas femininas.

 

Comportamento/Temperamento

Corajoso, cheio de energia e com atitude amável e divertida. De temperamento equilibrado e fácil de ser disciplinado. Embora obstinado, é particularmente amigável com as pessoas.

 

Cabeça

A cabeça do Bull Terrier é longa, forte e profunda até o final do focinho, jamais grosseira. Vista de frente, tem a forma de ovo e é completamente cheia; sua superfície é livre de cavidades ou recortes. O perfil se curva suavemente para baixo, do topo do crânio até a ponta da trufa.

 

Região Crâniana

Crânio: o topo do crânio é quase plano de orelha a orelha.

 

Região Facial

Trufa: deve ser preta, bem inclinada para baixo na ponta. Narinas bem desenvolvidas.

Lábios: bem ajustados e limpos.

Maxilar / Dentes: mandíbula profunda e forte. Dentes saudáveis, bem ajustados, fortes, de bom tamanho, com uma perfeita, regular e completa mordedura em tesoura.

Olhos: de aparência estreita, obliquamente colocados e triangulares; bem profundos, pretos ou marrons o mais escuro possível, de maneira a parecer quase preto, com uma expressão penetrante. A distância, dos olhos até a ponta do nariz, deve ser, perceptivelmente maior que a dos olhos ao topo do crânio. Olhos azuis ou parcialmente azuis são indesejáveis.

Orelhas: pequenas, finas e colocadas próximas. O cão deve portá-las rigidamente eretas.

 

Pescoço

Muito musculoso, longo, arqueado, afinando dos ombros à cabeça e livre de pele solta.

 

Tronco

Bem arredondado, com nítido arqueamento das costelas e grande profundidade da cernelha ao esterno, de maneira que este fique mais próximo do solo.

Dorso: curto, forte, com a linha superior atrás do nível da cernelha arqueando ligeiramente sobre o lombo.

Lombo: largo e bem musculoso.

Peito: largo, quando visto de frente.

Linha inferior: da ponta do esterno ao ventre, forma uma graciosa curva para cima.

 

Cauda

Curta, inserida baixa e portada horizontalmente. Grossa na raiz afinando para a ponta.

 

Membros

Anteriores: devem ter uma forte ossatura redonda, a mais forte e robusta possível, de maneira que o cão possa ficar solidamente plantado e devem ser perfeitamente paralelos. Em cães adultos, o comprimento dos anteriores deve ser aproximadamente igual à profundidade do peito.

Ombros: fortes e musculosos, sem serem carregados. Escápulas largas, planas e colocadas bem próximas da caixa torácica. Devem apresentar, debaixo para cima, uma nítida inclinação em seus bordos anteriores, formando um ângulo quase reto com o braço.

Cotovelos: retos e fortes.

Metacarpos: retos.

Posteriores: paralelos, quando vistos por trás.

Coxas: musculosas.

Joelhos: articulação bem angulada.

Jarretes: bem angulados.

Metatarsos: curtos e fortes.

 

Patas

Redondas e compactas, com dedos bem arqueados.

 

Movimentação

Quando em movimento, o cão parece ter todas as suas partes bem integradas, cobrindo o solo com passos fáceis e regulares e com um típico ar garboso. No trote, os membros trabalham em planos paralelos. Quando a velocidade aumenta, as pegadas convergem para o eixo central. Os anteriores apresentam um bom alcance e os posteriores fornecem uma boa propulsão, pela ação compassada das ancas e pela flexão dos joelhos e jarretes.

 

Pele

Bem aderente.

 

Pelagem

Pêlo: curto, assentado, denso, áspero ao toque e brilhante. O subpêlo pode estar presente no inverno.

 

Cor

Nos brancos, pura pelagem branca. A pigmentação da pele ou marcações na cabeça não devem ser penalizadas. Nos coloridos, a cor predomina sobre o branco. O tigrado é preferido. Tigrado escuro, vermelho, castanho e tricolor são aceitáveis. Pequenas marcas na pelagem branca são indesejáveis. Manchas azuis e fígados são altamente indesejáveis.

 

Tamanho

Não há limites para a altura e o peso, mas o cão deve dar a impressão de máxima substância para seu tamanho, em coerência com as suas qualidades e sexo.

 

Personalidade do Bull Terrier

O Bull Terrier é um cão com uma enorme energia e vitalidade, para quem sempre é hora de uma brincadeira. Muito ligado ao seu dono e à família, é um cão que gosta de acompanhar qualquer que seja a atividade.

É essa ligação profunda entre os Bulls e seus donos que faz deles excelentes cães de guarda, mas ao mesmo tempo, possessivos de seu território, o que pode trazer alguns problemas de convívio com outros cães e animais. Normalmente, o convívio só é possível se o filhote for acostumado desde cedo com a interação com outros animais.

São cães bastante ativos e sua constituição física permite que sejam excelentes atletas e companheiros em longas caminhadas e corridas.

Podem ser excelentes companhias para crianças, mas deve-se tomar um certo cuidado porque apesar de serem extremamente tolerantes, são cães pesados e podem machucar sem querer durante uma brincadeira mais forte. Com pessoas desconhecidas, o Bull não costuma ser hostil, mas também não será amistoso no primeiro encontro.

 

O Filhote

Assim como os cães adultos, os filhotes são também um poço de energia e atividade e precisam de uma boa supervisão porque como parecem estar sempre procurando ‘alguma coisa’ para fazer, se forem deixados sozinhos por longos períodos podem ser bastante destrutivos.

Caso o futuro dono more em apartamento mas tenha tempo para dedicar-se às atividades esportivas de seu cão, o Bull Terrier pode ser uma boa opção, porque além de seu porte ‘pequeno’ é um cão que late pouco e cujo pelo curto demanda pouca manutenção.

BULL TERRIER MINI

O bull terrier mini é um cão forte, resistente, ativo, similar em cada maneira a seu primo maior, o bull terrier standard. Ele tem uma expressão determinada e é cheio de espírito, embora passível de disciplina. 

Características físicas

Movendo-se com uma marcha fácil e livre, o bull terrier mini é um cão construído fortemente. Ele compartilha muitas características físicas com seu primo padrão, como suas mandíbulas fortes, músculos e ossos.

Cor

A raça pode ser branca ou colorida.

Pelo

O bull terrier mini tem um revestimento áspero, curto, e liso, com pele firme.

Personalidade e temperamento

Nível de atividade

Baixa a moderada

Positivos

Assim como o Bull Terrier, o Miniatura é travesso, brincalhão, cômico e animado. É também docemente devotado, mas não lisonjeiro.

Coisas a Considerar

O bull terrier mini é um cão curioso, independente, teimoso e necessita de um dono firme.

Requisitos especiais

O regime de exercícios do Mini, que consiste em uma brincadeira ou um passeio moderado, deve ser cumprido todos os dias, mas não exagerado. O pelo deve ter cuidados, entretanto, é mínimo, exigindo pouco mais do que a escovada ocasional.

Saúde

 

O bull terrier mini, que tem uma vida média de 11 a 14 anos, pode ocasionalmente sofrer preocupações na saúde, como surdez. A raça também é suscetível a doença renal. Para identificar algumas destas questões, um veterinário pode recomendar exames periódicos.

História e Contexto

Os menores Bull terriers brancos era conhecido como Coverwood Terriers, nomeado após pelo canil em que foram produzidos. Há também registros que mostram o Bull terrier mini de outras cores existentes nesta época, estes pesando cerca de quatro quilos. E como os cães eram minúsculos e uma variedade mais pobre - rapidamente perderam o interesse da população - os cães  maiores foram considerados melhor.

O English Kennel Club reconheceu o Mini Bull em 1939, mas reconhecê-lo como uma raça distinta representava um problema. A Miniatura não podia ser cruzada com o padrão Bull Terriers, como era uma raça separada. No entanto, com apenas algumas miniaturas presentes, houve vários casos de cruzamento.

A raça mini do bull terrier tornou-se popular gradualmente, e o Kennel clube americano eventualmente reconheceu-o em 1991.

 

Rockefeller Bull's